Coisas de mar, ilhas e tesouros.

– “Às vezes você se encontra em um caminho que você nunca esperou. O que não significa que não pode levá-lo a um lugar bonito.” Geillis Duncan – Outlander 


Passamos por caminhos tortos, machucados e espinhos fincam nas suas pernas que cansadas tentam se escorregar e deitar-se na primeira copa de árvore que enxerga, seus olhos lacrimejam de tanto fitar o sol em pleno deserto, e quando lhe falta o ar, eis que a noite cai e o frio noturno do Universo vem devagar para abrandar seus demônios, fechando os olhos e claramente se reerguendo novamente, sua força que hora se esquivou de ti, regressa com maior força. Somos frascos vazios que com um tempo nos enchemos de coisas boas ou não dependendo das nossas ações.


A teoria das ILHAS.

Estamos num imenso mar, e nele somos gotas milenares que atravessamos milhares de tempos, como uma larga produção de neurônios. O mar para onde olhares é o mesmo, as vezes muda de cor em alguns lugares, mas continua sendo o mesmo mar. Cuidando de nós para que nossa essência de gota não se misture ao mar escuro, vamos mantendo nossa essência e jamais tornar-se o mesmo como mesmos são. Ilhas magicas em diversos pontos deste mar, aguarda sua trajetória até elas, sua primeira ilha é de fato a mais bela e cheia de recursos que parecem infindáveis. Tu te encantarás na primeira visão, pois tu és uma gota primitiva se não explorar outras ilhas. Devemos ter em nossas consciências a vontade de se explorar internamente e a audácia e coragem de saltar pelas as outras pequenas ilhas. Toda ilha, grande ou pequena guarda segredos únicos para sua vida. Se a gota que antes era milenar, acomodar-se em estar em uma unica ilha por toda sua existência ela se torna uma simples gota primitiva sem a real essência do conhecer, depois que essas gotas se transformam, conhecendo as mais diversas ilhas pelo mar, quando um dia ela se regar da mais pura essência do existir, então ela poderá navegar pelas águas do mar com tranquilidade sem perigo de tornar apenas parte do todo. Somos universos únicos.







Um imenso mar
E um imenso deserto habita em mim
Longos oceanos cobertos de estrelas
Longas vidas cansadas e carregando bagagens que os outros não querem ouvir.

4 comments:

  1. Anite! Ah, que saudades que eu estava de ler os seus escritos! Sinto a falta de conversar contigo, de coração.

    Eu não sei nem que palavras usar para expressar o quão maravilhoso eu achei seus textos. Então, usando um trecho de uma das músicas de Djavan, expresso o que senti: "sabe lá o que é morrer de sede em frente ao mar..."

    Me escreva se/quando possível. Mesmo que por e-mail.

    Luz e carinho.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Nina querida, ohh... eu hei de escrever-te por carta se preferir. Conte-me como tás viu!?
      <3

      Delete
  2. "Longas vidas cansadas e carregando bagagens que os outros não querem ouvir."

    Eu quero, pois sei que tu bagagem interior é feita de luz, magia e energia boas.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Devemos marcar um encontro de elfos.
      Vamos falar <3

      Delete